Notícias

20 de fevereiro de 2015

Como o Google posiciona o seu site nas pesquisas


Matt Cutts, o rapaz aí em cima na foto, nada mais é do que o responsável por administrar as regras que estabelecem qual a posição do seu site nas buscas do Google. Embora curta, sua definição já dá uma pista bastante clara sobre o objetivo do Google: proporcionar respostas confiáveis aos seus usuários.

Para ilustrar, vamos a um exemplo prático. Se você quer tirar férias em Fortaleza e faz uma pesquisa no Google, vai querer encontrar as informações mais confiáveis sobre hospedagem e pontos turísticos. Se já decidiu pela viagem, vai pesquisar as operadoras mais mais qualificadas. É isso que o Google vem aperfeiçoando ao longo dos últimos anos, proporcionar informações de fontes (sites) confiáveis e de qualidade para atender os internautas.

Quanto mais confiáveis forem os resultados, mais gente terá interesse em fazer pesquisa no Google e não em outros buscadores, aumentando assim a sua audiência. Com uma grande audiência, ela terá mais sucesso em promover e gerar resultados para seus serviços pagos, como os links patrocinados (Adwords).

Qualidade e credibilidade, portanto, são os principais critérios que o Google utiliza para avaliar a posição que um site deve aparecer nas buscas. Mas não são os únicos.

O usuário quer respostas confiáveis, mas também que estejam relacionadas aos seus interesses no momento em que faz a busca. Se quero tirar férias em Fortaleza, estou buscando pontos turísticos e não saber que “fortaleza” significa fortificação. Se moro em Curitiba e estou buscando agências de turismo, quero consultar as empresas da minha cidade em primeiro lugar e não as de São Paulo ou Rio de Janeiro. Isso significa que o Google deve também interpretar o que eu quero e preciso para entregar o melhor resultado.

É o que vem sendo chamado de “busca semântica”. Para atender os resultados, o Google irá priorizar os sites que possuam a maior quantidade de referências relacionadas aos termos. Por isso conteúdo em seus mais diferentes formatos passou a ser tão importante para o bom posicionamento do site nas pesquisas.

“O objetivo do Google é aperfeiçoar o sistema de pesquisa para que atenda cada vez melhor o usuário. Fornecer respostas cada vez mais rápido para que exista uma conexão praticamente instantânea entre os pensamentos e a necessidade de informação de quem pesquisa.”Ben Gomes – Google Fellow

Um dos principais engenheiros do Google, Ben Gomes também dá uma pista sobre outro objetivo importante: tempo. Para oferecer respostas “instantâneas”, o buscador precisa identificar rapidamente os conteúdos do site. Por sua vez, o site precisa ter estrutura e organização claras (arquitetura da informação) para facilitar o trabalho do “robô” (crawler) que faz a identificação e indexação das páginas.

Mas não adianta o usuário (e potencial cliente) achar o seu site instantaneamente se ele vai levar um tempão apenas para abri-lo. Por isso o Google considera a velocidade de abertura do site como um fator de distinção nas buscas.

Qualidade da informação, credibilidade da fonte, conteúdo de referência, arquitetura da informação, velocidade de abertura. Como bem disse Matt Cutts, o Google leva muito a sério todas estas questões. Ao mesmo tempo em que aperfeiçoa os critérios de avaliação, também adota métodos para combater as práticas utilizadas para burlá-las (conhecidas como black hat). É por isso que técnicas que você certamente já ouviu falar, como de escrever repetidamente a principal palavra-chave da sua loja em letras brancas em um fundo branco, criar vários sites e blogs somente com o link do seu site principal, assim como outros “truques” não funcionam mais e ainda estão sujeitos à punição. Se insistir em tais tipos de prática, o site pode acabar sendo banido das buscas.

A grandes alterações que o Google vem promovendo nos últimos anos dentro dos parâmetros que acabamos de citar tem sido anunciados com nomes de animais. O primeiro foi o Panda, seguido pelo Pinguim, Colibri (Hummingbird) e, mais recentemente, o Pombo (Pigeon).

Colibri e Pombo vem agregando dois novos critérios: adaptação dos sites à mobilidade e geolocalização. Com a popularização do acesso à internet por celulares e tablets, passa a ser prioridade para satisfação do usuário ter sites com rápida abertura e navegação por meio destes aparelhos. E com a possibilidade de identificar sua localização via GPS, os resultados das buscas também irão variar de acordo com o local.