Notícias

5 de junho de 2012

Quem falha ao planejar, planeja falhar


Um simples trocadilho que pode levar a consequências desagradáveis. Quando ouvi esta frase pela primeira vez, dita pela consultora em Recursos Humanos Thereza Christina G. de Carvalho Pinto, diretora da Conection RH, lembrei imediatamente dos japoneses, cujo modelo de gestão prevê o planejamento como a fase mais longa de qualquer projeto. Enquanto alguns consideram “burocracia” e preferem o método da “tentativa-erro-lamento”, há sistemas de gestão no Japão, por exemplo, que preveem mais de 70% do cronograma de qualquer projeto dedicados à fase de planejamento. Por que planejar é tão importante em qualquer área da vida?  E por que ainda é uma fase ainda tão negligenciada em culturas como a nossa?

O medo de ter de mexer no sonho

Planejar dá trabalho. É preciso pesquisar, analisar, cruzar dados, pensar de maneira sistêmica, levando em conta fatores externos, internos, riscos.

  • Exige raciocínio. Mais do que colocar números em uma planilha, é preciso pensar sobre eles, relacioná-los.
  • Prescinde de conhecimento teórico. Um planejamento eficaz necessita de ferramentas específicas e de metodologia.
  • Requer pesquisa e atualização. Conhecer tendências, ter informações da concorrência e acompanhar pelos jornais o que acontece no mercado e no mundo.
  • Implica em paciência para ver a melhor parte do negócio – que é colocar a mão na massa, começar a trabalhar e ver resultados – ficar para depois.
  • Inibe o que possivelmente dá mais conforto na hora de fazer um balanço ou precisar recomeçar quando algo dá errado: a possibilidade de atribuir 100% da culpa ao outros e se acomodar na posição de vítima.

Quem nunca ouviu lamentos como “eu tentei, mas não tive sorte”. Sorte, a meu ver, é algo relativo. Certamente há fatores externos e imprevistos. Mas é possível contribuir– e muito – com ela para ter resultados positivos. De que maneira? Planejando de maneira adequada.

Ao planejar de maneira séria você consegue entender melhor a dinâmica do universo em que quer entrar. Percebe seu fluxo e suas influências. Planejar lhe ajuda a supor menos e analisar mais. Analisar além os fatores do entorno, as consequências indiretas, se você está ou não preparado e no que precisa rever seus conceitos e conhecimentos.

Passaporte para a ousadia

Um bom planejamento o faz olhar para dentro de si e, em diversos casos, enxergar algo que tentamos esconder de nós mesmos. Talvez seja essa dificuldade em encarar limitações e correr o risco de perceber que pode demorar mais do que queremos ou nosso sonho pode não ser viável deixe o planejamento como algo ainda malvisto.

Planejar nos traz do sonho para a realidade mais rapidamente, mas, também de forma menos abrupta. E permite  ainda mexer no sonho preventivamente, reduzindo a chance de ele se tornar um enorme pesadelo.

Significa organização e não burocracia. Exercita a mente e ajuda a perceber o outro. Por mais contraditório que possa parecer: planejar aumenta a chance de ousar, pois nos dá mais segurança em cada passo. Ao sabermos até onde podem chegar as consequências, ficamos mais seguros para decidir se aguentamos ou não o tranco.

Há diversos cursos de planejamento tanto on line quanto presenciais. Alguns até gratuitos.  E softwares que ajudam a organizar o pensamento. São necessários, pois contemplam diversos elementos que não surgem naturalmente na nossa mente ao querermos colocar uma ideia em prática e que são determinantes em nos guiar para o caminho do sucesso – ou do fracasso. Se parece complexo começa a planejar algo grande, que tal iniciar por um projeto pessoal ou uma atividade cotidiana?  Tenha certeza que, no mínimo, vai ajudá-lo a se tornar mais audacioso.