Notícias Fecomercio

7 de junho de 2018

Índice de confiança do empresário do comércio tem queda de 0,9% em maio, aponta FecomercioSP


Dos três quesitos que integram o indicador, apenas o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC) apresentou crescimento na comparação mensal

Em maio, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) no município de São Paulo registrou leve queda de 0,9%, ao passar de 115,4 pontos em abril para 114,4 pontos. Na verdade, o indicador parece ter encontrado um patamar de acomodação, já que, desde fevereiro, o ICEC oscila em torno dos 115 pontos. Em relação a maio de 2017, o ICEC avançou 9,7%.
Apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o ICEC varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

Na análise por porte, assim como verificado em abril, a confiança das empresas com até 50 funcionários registrou uma queda mais intensa, de 0,9%, ao passar de 114,9 em abril para 113,9 pontos em maio, enquanto as empresas com mais de 50 empregados exibiram leve queda de 0,3%, atingindo 114,9 pontos ante os 113,9 pontos vistos em abril. Esse movimento ocorre porque as pequenas empresas tendem a ter mais dúvidas do que certezas diante do quadro econômico ainda não totalmente amistoso. No comparativo anual, o ICEC de ambos os portes subiu, 9,3% e 27,7%, respectivamente.

Dos três quesitos que integram o indicador, apenas o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC) apresentou crescimento na comparação mensal (0,8%), passando de 95,3 pontos em abril para 96,1 pontos em maio. Em relação ao mesmo mês de 2017, houve aumento de 8,4%.

O Índice das Condições Econômicas Atuais (ICAEC) e o Índice de Expectativas do Empresário do Comércio (IEEC) exibiram queda em maio. O primeiro registrou 90,9 pontos ante os 93,8 pontos do mês de abril, retração de 3,1%. Na comparação anual, apresentou elevação de 21,1%. O segundo passou de 157 pontos em abril para os atuais 156,1 pontos, uma leve queda de 0,5%. No contraponto anual, o indicador teve alta de 4,8%. Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias