Notícias

18 de março de 2015

Um domingo de ordem para um futuro de progresso


Inegável a força das manifestações do último domingo. Estas ocorreram em todas ou quase todas as capitais, não só as ditas oposicionistas ou que concentram as “zelites”.

As manifestações que ocorreram em absoluto clima de ordem, com a participação maciça dos que impulsionam o progresso, trabalhadores que trabalham de fato, sejam eles empregados, profissionais liberais, empresários, estudantes,  enfim todos aqueles que de algum modo fazem com que o país vá a frente progrida.

E para esses a ordem é fator primordial para o progresso, o pessoal e consequentemente o progresso do país. Não sem causa que o lema de nossa bandeira é Ordem e Progresso, são irmãos siameses impossíveis serem separados. E o povo brasileiro em sua esmagadora maioria pugna pela ordem e demonstrou isso de forma inequívoca no último domingo.

A desordem implantada em nosso país é por certo a origem de nossos males econômicos e sociais, que como dizem os caboclos: “astravancam o pogressio”! A desordem manifesta-se nos mais diversos campos, a corrupção é um, mas a falta de ordem no cotidiano é também um impeditivo do progresso. Falta ordem na condução das políticas públicas, na administração em geral, na zeladoria dos municípios, escolas hospitais, postos de saúde, transporte, trânsito, segurança pública e no planejamento que não existe. O PT estatizou o caos!

A corrupção foi institucionalizada passou a ser uma política de Estado, muito se sabe sobre o tema. Os desmandos em todas as empresas públicas, autarquias e até fundos de pensão, evidentemente nem tudo poderá ser efetivamente provado, principalmente, creio, no que diz respeito aos mandantes da ação criminosa, assim como caso dos dólares vindo de Cuba, uma triangulação de dinheiro desviado do estado brasileiro, o apoio financeiro e material das FARCs, as cuecas recheadas de dinheiro e muitos outros mais, mas certamente a credibilidade dessa gente estará inexoravelmente abalada.

Creio firmemente que caso as investigações não afogue os mandantes, trará àgua a bater nas nádegas de muita gente!

Ficam os PARABÉNS a todos que participaram do ato cívico de domingo. Não foram remunerados pelas “centrais”, não tiveram apoio logístico de partidos ou do estado, foram para as ruas a próprias expensas, famílias inteiras, para exercer a cidadania num efetivo e contundente brado de basta de safadeza e desordem exigimos ordem para alcançarmos o progresso.